Pages

segunda-feira, 14 de outubro de 2013

Publicado hoje o esperado edital do Fundo de Incentivo à Cultura 2013

Via Portal NoAr

O esperado edital do Fundo de Incentivo à Cultura 2013 foi publicado nesta segunda-feira, no Diário Oficial do Município. O valor dos recursos para o FIC-2013 é de R$ 400 mil, com o limite máximo de até R$ 30 mil por projeto.




Serão, ao todo, selecionados 25 projetos. Eles serão avaliados pelos membros recém-eleitos à Comissão Municipal de Cultura, formado pelos músicos Chico Bethoven e Paulo Sarkis, pelo artista plástico Novenil Barros e Venâncio Pinheiro, e pelo produtor Péricles Filgueira.

Os projetos já estão pré-definidos por área: dois projetos para Artes Cênicas; quatro para Artes Visuais; dois para Audiovisual; três para Música; dois para Literatura, Livro, Biblioteca e Leitura; dois para Artesanato; cinco para Artes Integradas; e dois para empreendedorismo cultural.

Quanto aos 29 projetos aprovados e à espera do pagamento do FIC-2010, ainda na gestão Micarla de Sousa, a assessoria da Funcarte informou que esse processo, tais quais outras dívidas deixadas pela última gestão, foram judicializados e esperam aval do Tribunal de Contas para o pagamento.

As inscrições de projetos para concorrer ao FIC 2013 podem ser realizadas já a partir de hoje, na Secretaria Executiva do Conselho Municipal de Cultura, que funciona na sede da Funcarte (Av. Câmara Cascudo nº 434, Cidade Alta), sempre de segunda à sexta-feira, das 8h às 13h. O prazo é de 45 dias, indo até 27 de novembro.

Alguns aspectos estão mantidos, como o fato dos proponentes de projetos culturais estarem em consonância com o objeto do Edital, pessoas físicas ou jurídicas, cadastradas no CMEC (Cadastro Municipal de Entidades Culturais), e que sejam diretamente responsáveis pela promoção e execução do projeto artístico-cultural a ser beneficiado com os recursos do FIC-2013.

Os projetos apresentados ao Conselho serão analisados de acordo com os critérios eliminatórios, técnicos e de fomento. O resultado será publicado no DOM após 30 dias do término das inscrições. Os valores para cada projeto poderão sofrer alterações em sua previsão orçamentária, e as eventuais sobras de recursos poderão ser a critério do Conselho de Cultura, remanejadas para projetos de outras áreas ou modalidades.

Cada proponente poderá inscrever até quatro projetos, que deverá ser exclusivo e beneficie a instituição ou o núcleo de profissionais por ele representado, sendo que será selecionado apenas um projeto para cada proponente.

EIS AS ÁREAS CONTEMPLADAS:

5.1- Os projetos deverão enquadrar-se em uma das seguintes áreas artísticas ou culturais:

I – ARTES CÊNICAS: Capacitação de técnicos, figurinistas, designers e aderecistas para a produção de cenários, figurinos, e adereços para quadrilhas juninas, blocos, troças e grupos artísticos, capacitação de iluminadores para espetáculos em geral.

II – ARTES VISUAIS: Fomentar nas escolas da rede municipal a prática do desenho e da pintura como expressões artísticas, capacitar fotógrafos amadores para o uso da fotografia como ferramenta de expressão artística, criação de painéis e murais para valorização de espaços urbanos públicos da Cidade do Natal, realização de exposições fotográficas e/ou poéticas a ser instalados em espaços abertos da cidade, em territórios com significativo fluxo de pessoas.

III – AUDIOVISUAL: Capacitação, atualização e qualificação, de vídeo-makers, produtores, roteiristas, técnicos e diretores para a produção de microfilmes em câmeras e aparelhos de telefonia móvel, em configurações que atendam as demandas dos canais de veiculação em sites e redes sociais, premiar fotógrafos profissionais e amadores enfocando o tema “Cidade do Natal”.

IV – MÚSICA: Capacitação de músicos, instrumentistas para bandas carnavalescas, fomento da prática de coro, canto coral, artistas e grupos musicais, preferencialmente para as manifestações musicais públicas.

V – LITERATURA, LIVRO, LEITURA E BIBLIOTECAS: Capacitação empreendedora para escritores amadores e profissionais no tocante a criação, publicação, circulação, leitura e fruição de obras literárias.

VI – ARTESANATO: Qualificar artesãos e artistas para a criação e produção de ornamentação de espaços públicos com reciclagem ou utilização de material reciclado.

VII – ARTES INTEGRADAS: realização de cursos, oficinas, workshops, residências e imersões, voltados para a atualização, qualificação e capacitação da comunidade artística e cultural, promoção de ações de grupos que trabalhem com danças de rua, hip-hop e capoeira localizados na Cidade do Natal.

VIII – EMPREENDEDORISMO CULTURAL: Capacitar agentes, artistas e produtores para o empreendedorismo em negócios culturais, Capacitação técnica e artística de profissionais, gestores culturais, capacitação de Grupos e Cias. teatrais para a gestão e produção cultural.

2 comentários:

  1. É nem tudo é perfeito. Gostaria muito que no FIC 2014, evitassem tantas restrições. Por exemplo, Artes Integradas restringe a manifestação afro-brasileira existem em Natal a apenas a capoeira... e sabemos que não é só isso. A arte negra na cidade as vezes é lembrada, mas de maneira pífia. Capacitação parece ser o foco, mas não prevê a mostra... o produto final como um espetáculo, uma vernissage... Espero que pensem e aprimorem para o ano que vem. Projetos/idéias não me faltam, quero apenas um espaço digno para poder empreender.

    ResponderExcluir
  2. https://www.facebook.com/porai2012

    ResponderExcluir